Histórico da Medicina Antroposófica no Brasil: Dos primeiros anos até a fundação da ABMA

banner_gudrun2

A Medicina Antroposófica inicia-se no Brasil em 1956, na cidade de São Paulo, com a atuação da médica Gudrun Buckhard, graduada na USP e que fez sua formação nessa abordagem na Clínica Ita Wegman (atualmente Clínica Arlesheim), na Suiça.

Nos primeiros anos, a Dra. Gudrun atendia seus pacientes no Instituto Weka, fundado e dirigido por seu pai, Walter Krökel. Atuava como médica generalista, ampliando com a prática da Medicina Antroposófica. Em paralelo, atuou como médica escolar na escola Waldorf Higienópolis (atualmente Escola Waldorf Rudolf Steiner). Nesse período os medicamentos antroposóficos ainda não eram produzidos no país e os pacientes os importavam da Alemanha ou Suíça. Atendia também pacientes oncológicos que desejavam utilizar o Viscum album como tratamento complementar do câncer. Algumas vezes viajou para outros estados como no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e, também, outros países como o Chile, para tratar de pacientes com câncer.

Um importante impulso para o movimento médico antroposófico foi a visita de Rita e Alexandre Leroi, em 1957. Ambos eram médicos da Clínica Ita Wegman na Suiça e proferiram palestras sobre a medicina antroposófica, enfocando a questão do câncer e do uso do Viscum álbum.

Essa visita contribuiu para o impulso de criação da Weleda do Brasil, Laboratório e farmácia, por Pedro Schimidt, antroposófo e empresário.    O primeiro farmacêutico da Weleda foi Sr. Estermann, que veio da Suíça para essa missão. Em 1964 o farmacêutico alemão Friedrich Müller assume a direção da empresa.

Em 1962 a Dra. Gudrun retorna à Europa para um período de dezoito meses durante os quais estudou em Stutgart e também acompanhou a Dra. Rita Leroi na Ita Wegman e, posteriormente, na Lukas Klinik, que havia sido inaugurada recentemente. Nesse período complementou sua formação com o aprendizado de recursos terapêuticos antroposóficos como massagem rítmica, terapia artística (estudou com Dra. Margarethe Hauschka) e Euritmia Curativa (com Else Sittel e Frau Jaager).  

De volta ao Brasil a Dra. Gudrun funda o primeiro “Terapeuticum” juntamente com a euritmista Andrea Meyer, a massagista Frau Albrecht e a secretaria Vera Zinkhahn.

Cresce o anseio pela expansão do trabalho multidisciplinar e, em 1967, após esforços para aquisição do terreno no Alto da Boa Vista, em São Paulo, é colocada a Pedra Fundamental da Clínica Tobias. Esse impulso é concomitante com a criação da Associação Beneficente Tobias, que vem a ser a proprietária e mantenedora do patrimônio. A inauguração da clínica acontece na época de Pentecostes de 1969

Os quatro primeiros médicos da clínica foram a própria Dra Gudrun, como responsável geral, Dr. Willy Kenzler como psiquiatra, Dr. Müller Carioba como cardiologista e Dr. Ader Bertolami como clínico-geral e cirurgião. Em 1970, no primeiro ano de funcionamento da Clínica Tobias, juntou-se a Dra. Sabine Sattler, vinda da Lucas Klinik da Suíça.

Em 1971 o Dr. Bernardo Kaliks vem morar no Brasil e passa a integrar a equipe da Clínica Tobias. Natural do Chile, Dr. Bernardo fez sua formação na Suiça, tendo privilégio de acompanhar, como aprendiz, a Dra. Hilma Walter, uma das médicas que aprendeu diretamente com Ita Wegman. Dr. Bernardo Kaliks é, na atualidade, o médico com maior experiência em Medicina Antroposófica, sendo docente e principal orientador das formações nessa abordagem médica, no Brasil.

O impulso para a criação de uma associação de médicos que atuavam pela Medicina Antroposófica veio por ocasião de uma nova visita da Dra. Rita Leroi a São Paulo em 1982.

É assim que, em 03 de outubro de 1982, na Clínica Tobias, foi fundada Associação Brasileira de Medicina Antroposófica (ABMA).

Composição da Primeira Diretoria da ABMA Nacional (1982-1984)

Diretoria:

Diretor Presidente: Gudrun

Vice-Presidente: Bernardo Kaliks

Tesoureiro: Marques

Secretário: Wilhelm Kenzler

 

Conselho Fiscal:

Alcides Grandisoli

Daniel Burkhard

 

Suplentes do CF:

Ricardo Távora

Antônio Carlos Aranha

 

Presentes à assembleia de fundação da ABMA: Bernardo Kaliks Litvak, Sônia Anette Lanz Setzer, Alcides Grandisoli, Pedro N. Schmidt, Gerhard Klaerner, Helena Amorin Lobato, Gabriela Steinger, Pedro André Wilda, Sônia Cristina Lawall, Antônio José Marques, Daniel Burkhard, Heinz Helhelm Wild Wulff, Gudrun Kroekel Schmidt, Maximo Akira Hanada, Claudia A. Benatti, Omar Edson Botter, Flávio Ernesto Milanese, Angélica Justo de Moraes, Joel Steinman, José Roberto L.Neves, Samir W. Rahme, Rita de Cássia Lopes Rossini, Antônio Carlos de Souza Aranha, Geraldo Gilberto procópio C. Valle.

 

Fontes:

Arquivos e atas da ABMA

Depoimentos da Dra. Gudrun Buckhard gravados para a ABMA

Sociedade Antroposófica no Brasil (SAB):

http://www.sab.org.br/portal/antroposofia/no-brasil/historico-no-brasil

Iracema de Almeida Benevides
Iracema de Almeida Benevides

Iracema de Almeida Benevides é médica, graduada pela UFMG em 1992. Presidente da ABMA Nacional no período 2014-2017

One thought on “Histórico da Medicina Antroposófica no Brasil: Dos primeiros anos até a fundação da ABMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *